domingo, 19 de outubro de 2014

Seminário internacional debate violações de direitos humanos e empresas

Segunda edição do Seminário Internacional de Direitos Humanos e Empresas acontece de 13 a 17 de abril de 2015 em Juiz de Fora-MG

Os organizadores são o HOMA - Centro de Direitos Humanos e Empresas e o Programa de Pós Graduação Stricto Sensu em Direito e Inovação da UFJF. O HOMA trabalha com a investigação de mecanismos de responsabilização de empresas por violações de direitos humanos.
Serão 6 Grupos de trabalho interdisciplinares que contemplam diversas áreas de pesquisa (Financiamento público, Sistemas de Justiça, Povos e Comunidades Tradicionais, Sociedade Civil) relacionadas a violações de Direitos Humanos por empresas, e mais um GT especial do IPDMS sobre “Movimentos sociais e empresas”.
O Instituto de Pesquisa, Direitos e Movimentos Sociais (IPDMS) é um dos apoiadores e promoverá um Grupo de Trabalho para apresentações sobre “Movimentos sociais e empresas”, com a coordenação da Profa. Fernanda Vieira (UFJF) e do Prof. Luiz Otávio Ribas (doutorando UERJ). A proposta é relacionar relatos de experiências contra-hegemônicas, estudos de caso, ações dos movimentos sociais, ações das assessorias jurídicas, com a política judicial, sistema de justiça, mundo do trabalho e judicialização, teorias críticas e resistências.

O evento ocorrerá na Faculdade de Direito da Universidade Federal de Juiz de Fora. Mais informações na página www.projetodheufjf.com.br/inscricoes2015 

Um comentário:


  1. A volta de decoro no Brasil:

    UM MOMENTO, APENAS UM!, SUI GENERIS. EIS:

    Em 2016 houve fato fabuloso sim, apesar de Vanessa Grazziotin falar que não, dessa forma assim:

    "O ano de 2016 é, sem dúvida, daqueles que dificilmente será esquecido. Ficará marcado na história pelos acontecimentos negativos ocorridos no Brasil e no mundo. Esse é o sentimento das pessoas", diz Grazziotin.

    Mas, por outro lado, nem que seja apenas 1 fato positivo houve sim! É claro! Mesmo que seja, somente e só, um ato notável, de êxito. Extraordinário. Onde a sociedade se mostrou. Divino. Que ficará na história para sempre, para o início de um horizonte progressista do Brasil, na vida cultural, na artística, na esfera política, e na econômica. 
    Que jamais será esquecido tal nascer dos anos a partir de  2016, apontando para frente. Ano em orientação à alta-cultura. Acontecimento esse verdadeiramente um marco histórico prodigioso. Tal ação acorrida em 2016 ocasionou o triunfo sobre a incompetência. Incrementando sim o Brasil em direção a modernidade, a reformas e mudanças positivas e progressistas. Enfim: admirável. 

    Qual foi, afinal, essa ação sui-generis?

    Tal fato luminoso foi o:

    -- «Tchau querida!» [impeachment de Dilma].

    Eis aí um momento progressista, no ano de 2016. Sem PeTê.

    Feliz 2017.

    ResponderExcluir